ACORDO PARA PENSÃO NÃO PRECISA SER DOLOROSO

A situação já é delicada. No IPCM, nosso dever é descomplicar

Esta semana, a imprensa noticiou que o músico Ricardo Costa, ex-integrante da boyband Polegar, foi preso por não pagar a pensão alimentícia do filho de 9 anos. Ele havia feito um acordo, mas não cumpriu. Sabidamente, a Justiça brasileira é implacável com atraso ou inadimplência com o acordo de alimentos.

 

A separação e a vida longe dos filhos já são, por si só, situações bem delicadas. Quando uma das partes descumpre os combinados, aí tudo fica mais doloroso ainda. A boa notícia é que não precisa ser assim. O divórcio e o acordo de pensão alimentícia pode ser feito em sessões de conciliação e mediação, como as que realizamos aqui no IPCM. As vantagens são: não precisar entrar na Justiça, todo o processo ser mais rápido e acessível e, principalmente, a manutenção do diálogo entre o casal, para facilitar e ficar bom para todos.

 

No início de junho, por exemplo, recebemos um casal que precisava resolver os alimentos da filha. A sessão transcorreu muito bem, as partes se colocaram e foram atendidas e a garota foi quem mais aprovou tudo: "Em relação ao processo, achei que foi tudo tranquilo. Meu pai já tinha conversado com a gente e explicado que nós viríamos aqui exatamente para isso. Independentemente da pensão que ele sempre pagou, nós sempre tivemos o auxílio dele e acredito que isso não vá mudar. Era justamente o que ia acontecer e aconteceu. É isso"

 

 

Conheça o IPCM:

IPCM - Instituto Paulistano de Conciliação e Mediação

Rua da Glória, 182 – cj. 12 – Liberdade

www.paulistanomediacao.com.br

atendimento@paulistanomediacao.com.br